OBuxixo - Fofocas, bombas, famosos, audiência, buchichos, flagras, novelas e TV: #BBB17 RoBBB vai retratar participantes

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

#BBB17 RoBBB vai retratar participantes


Uma casa repleta de novidades com muita diversidade e a cara do Brasil marca a nova temporada do BBB. Este ano, sob comando de Tiago Leifert, o programa traz muito regionalismo, inclusão e um grupo mais eclético do que nunca. Serão 15 participantes de várias partes do país em busca do prêmio de R$ 1,5 milhão.

“O Big Brother Brasil é um projeto que nunca para. Ficamos em produção e seleção o ano todo. E esse ano é um grande prazer para a gente ter o Tiago aqui. Ele é antenado, inteligente e vai trazer frescor para o programa. Que bom que temos ele conosco para seguir com essa história” explica Rodrigo Dourado, diretor-geral do Big Brother Brasil, que completa. “Vamos descobrir juntos como construir esta edição. Nosso papel aqui é observar e entender para onde a história está andando e traduzir esse caminho para o país todo”, finaliza.

Pela primeira vez, o programa terá início em uma segunda-feira e já começa com uma novidade: duas duplas de gêmeos competem entre si para garantir as últimas vagas do time. Apenas um irmão de cada dupla continuará no jogo. Quem ficar, junta-se aos demais 13 competidores, que chegam à casa na terça, 24.

“Todo mundo quer fazer o Big Brother Brasil. Esse universo é muito legal. Gosto muito do programa, sempre acompanhei muito de perto, até dando sugestões de provas e festas. Isso é o maior game do mundo, maior RPG do mundo. O que mais me apetece no programa são as histórias que se desenrolam e como os personagens dessas tramas vão se formando. Mas nunca imaginei apresentar o BBB. Estou muito feliz. Adoro desafios e isso aqui vai ser um desafio e tanto”, avalia Tiago.

“Quando fui convidado fiquei louco e muito feliz. Gosto muito do programa, sou fã e sempre acompanhei muito de perto, dando até sugestões de provas e festas. Esse universo é muito legal e todo mundo quer fazer o Big Brother Brasil. Eu adoro desafios e isso aqui vai ser um desafio e tanto. Mas estou tranquilo. Doido pra começar logo”, diz Tiago, emocionado. “Isso aqui é o maior game do mundo, um grande tabuleiro de RPG em que a gente acompanha peças e isso é o que eu mais gosto: olhar o programa, conhecer as pessoas, detectar as histórias que se desenrolam e como os personagens dessas tramas vão se formando. Esse é o grande barato”, conclui.

Este ano, Rafael Cortez e Paulinho Serra integram a equipe. Cortez dá voz aos fãs no #BBBSemModeração e comandará uma mesa redonda sobre o programa no Gshow, sempre com participações especiais. Já Paulinho Serra comanda o #SelfieBBB em que o público nas ruas comenta as impressões sobre o jogo.

Outra surpresa será a decoração. A casa terá uma nova roupagem, totalmente reformulada, que remete à uma vila bem brasileira e colorida. A inspiração veio do regionalismo nacional, cuja diversidade é percebida em cada ambiente. As festas seguirão o mesmo conceito. Todas as quartas-feiras, um estado brasileiro será tema das celebrações. A primeira delas vai fazer uma homenagem a Amazônia.

A tecnologia é outro ponto alto desta 17ª edição. O apresentador Tiago Leifert ganhou um estúdio novo, de onde, por exemplo, poderá escolher qual câmera deseja ver os participantes e comentar suas estratégias com ainda mais movimento. Além disso, em suas aparições para conversar com os brothers, o apresentador será visto de corpo inteiro por um telão de led com 2,5 metros de altura por 1,5 de largura instalado na sala da casa.

O RoBBB também ganhou upgrade e um visual mais moderno. O mascote está mais high tech e terá personalidade, com versões que retratam bem a diversidade dos participantes e participações nas mídias sociais.

#redeBBB
O Big Brother Brasil ampliará nesta 17ª edição o conceito de rede, oferecendo conteúdo multiplataforma. A ideia é potencializar a interação com o reality e oferecer uma experiência completa, em qualquer lugar, a qualquer momento. O público poderá ver atrações inéditas online repercutindo os acontecimentos dentro da casa, seja na página oficial do programa, no Globo Play ou no GShow.

 “O programa sempre procurou estar ligado em novos meios para oferecer nosso conteúdo. Foi assim com o SMS dando seus primeiros passos nos anos 2000, com as mídias sociais nos anos 2010 e agora com uma conexão sem fronteiras. Não importa a janela, o BBB tem uma para cada expectativa do público. Onde e como ele quiser. É o que passamos a chamar de Rede BBB”, conceitua o diretor de gênero Boninho.

Fãs, influenciadores, críticos e colunistas que publicarem posts, memes, comentários e recados com a hashtag #redeBBB poderão ter seu conteúdo agrupado em uma página especial. Além da página do programa no Facebook e do perfil no Twitter, este ano a #redeBBB ganha o reforço do Snapchat (BBBGshow), do Instagram e do Youtube. No Twitter e no Facebook, haverá plantões a qualquer momento, com a imagem da família Robbb, os robôs contadores oficiais da história.


A Vila BBB
A ideia de transformar a casa em uma vila surgiu no final da edição passada e tem como referência a diversidade e o regionalismo brasileiro, temas presentes no conceito da 17ª temporada. Por conta disso, a equipe se voltou para a arquitetura colonial muito presente em várias regiões do país. “Fomos beber na fonte do colonial porque tem referências de pesquisa muito vastas e o país viveu um período com uma presença muito forte deste estilo. Buscamos referências em vilas, cidades de Minas e no Pelourinho, mas sem seguir à risca porque não estamos fazendo um resgate ao pé da letra. Ao mesmo tempo, tem que ser fácil para o telespectador identificar e saber que pode morar em uma casa muito parecida com uma destas que estão no jardim”, explica Camila Costa, cenógrafa responsável. 

Para encontrar o tom certo entre o clássico e o moderno, a equipe apostou nas cores. Os elementos de louça aplicados na parede da sala de jantar, por exemplo, têm estilo antigo, mas ganharam cor moderna e tamanho maior. Esse cômodo recebeu ainda uma coleção de pratos, mas em contrapartida, a cozinha é toda em aço inox. “Estamos sempre mesclando essas informações”, ressalta Camila.

O conceito de vila está presente também dentro da casa. Em uma parede, foram aplicados pedados de portas e janelas antigas.  As pinhas – um elemento característico de época - estão presentes em vários cômodos, mas ganham releitura em vidro e louça. Os pisos também se destacam. Foram usados diversos tipos de ladrilhos de épocas diferentes, mas em contraponto há porcelanatos em outras partes da casa.  

“Precisávamos encontrar a proporção certa, uma unidade que ligasse todas as casas e unisse tudo, que fosse fácil do telespectador identificar. “Por isso, tem pincelada de coisas modernas, mistura de estilo, muito do colonial, mas tem os elementos de concreto que são atuais, tem cores que não  são exatamente as que você vê na arquitetura de época, porque as casas desse tempo são mais brancas. Aqui, invertemos a situação, misturando muita cor”, define Camila.

Seletivas
A produção do reality trabalhou o ano inteiro na seleção dos participantes e esteve em 11 capitais brasileiras, duas delas, pela primeira vez: Maceió e Manaus.  Além das regionais e da banca virtual, que deu chance de candidatura via internet àqueles que não puderam estar nas cidades visitadas pela produção, o BBB contou ainda com o ‘Olheiro BBB Virtual’, que buscou e entrevistou pessoas que se destacaram por algum motivo durante o ano, por seu trabalho ou em causas sociais, por exemplo.

Perfil dos participantes

Vivian - Amazonense de 23 anos, gosta de ter boas histórias para contar e promete aproveitar 100% a experiência do BBB17 para sair de lá com um bocado delas. Foi Miss Amazonas 2012, é advogada e deseja se integrar bem com todos da casa: Para levar o prêmio de R$1,5 milhão, ela conta que está disposta a jogar “de verdade”, sozinha ou em grupo. Mas garante que seu jogo será “limpo”.

Rômulo – O diplomata de  39 anos se define como uma pessoa paciente e também “transparente”. Mas, diante de uma situação de preconceito ou intolerância, o goiano não garante diplomacia: “Sempre reajo, seja comigo ou com outras pessoas”. Para ele, a motivação maior para entrar no programa é testar seus limites. Ele garante que vai lutar pelo prêmio de R$1,5 milhão mas só até “o ponto que sua dignidade e seus valores permitirem”.

Roberta – Blogueira e micro-empresária, a mineira de Caxambu tem 21 anos e acredita que o BBB 17 vai mudar sua vida. Mas não se trata apenas do prêmio de R$1,5 milhão: “Com o Big Brother, poderei ter representatividade, investir na minha carreira e fazer tudo o que minha mãe quiser”, afirma a estudante de Serviço Social que também trabalha em um salão de beleza. Roberta sabe que a disputa não será fácil e diz que está disposta a ir até o limite na competição.

Pedro - Gamer assumido, ele é da capital paulista e tem 29 anos. Além dos games, o paulistano ainda trabalha como jornalista e apresentador. Na disputa, Pedro aposta na tranquilidade e na experiência em videogames para vencer as provas. “Eu tenho vasto conhecimento de jogos e dinâmicas e sei usar esses anos de prática em boas estratégias”, garante.

Mayara – A jovem de 26 anos está acostumada a morar sozinha. Dividir a casa com tantos brothers não será tarefa fácil para a mineira de Lagoa Santa. Por outro lado, se relacionar com pessoas tão diferentes será a parte mais fácil. “Você sempre acaba encontrando algo em comum, alguma afinidade”, garante. Modelo e bacharel em Direito, ela acredita que seu condicionamento físico irá ajudar nas provas. “Minha resistência é muito boa, terei facilidade”.

Marinalva - A paranaense saiu de Santa Isabel do Irai para a casa do BBB 17 com um objetivo: “Passar a mensagem de que uma pessoa com deficiência é protagonista de sua própria história”. Marinalva trabalha como modelo e palestrante. Ela é mãe de três filhos e avisa que já tem compromisso: “Não me envolveria com ninguém dentro da casa. Já estou apaixonada”, afirma a paratleta que usa o colar que foi presente do namorado como amuleto.

Marcos - Gaúcho de Porto Alegre, é cirurgião plástico e tem 37 anos. Para ganhar o prêmio do BBB 17, ele não preparou nenhuma estratégia. “Só vivendo lá para saber”, afirma. Mas o dinheiro já tem destino certo. Marcos deseja investir na profissão. Marcos avisa que é prestativo, mas também, impulsivo, impaciente e competitivo. Ele ainda alerta que está aberto a novos relacionamentos na casa.

Luiz Felipe - O alagoano de 28 anos prefere não contar com a sorte. Acredita que determinação será o seu trunfo dentro da casa. Modelo e empresário, ele acredita que o BBB poderá impulsionar sua carreira, mas ainda não fez grandes planos, caso ganhe o prêmio. Sobre romances, Luiz Felipe alerta que está disposto a se relacionar com alguém no jogo. Sobre a convivência com pessoas tão diferentes, o comerciante avisa.

Ilmar Renato - O advogado autônomo de 38 anos milita a favor dos Direitos Humanos. O indigenista diz acreditar nas relações afetivas, “desde que sejam verdadeiras”. Ilmar se define como “democrático, conciliador, interativo, expansionista e comunicativo”, e aposta no talento culinário para se integrar com os brothers. O paulista de Santo Anastácio mora no Mato Grosso do Sul, tem várias tatuagens e diz que, se ganhar o prêmio, quer investir em sua formação profissional e na educação do filho adolescente.

Ieda - A aposentada de 70 anos, de Canoas, no Rio Grande do Sul, sempre gostou de assistir ao ‘Big Brother Brasil’ mas, para ela, participar do programa será uma etapa de autoconhecimento e teste dos seus próprios limites. Mãe de quatro filhos, a gaúcha pretende ajudar a família, caso conquiste o prêmio final. Ieda planeja “jogar limpo e ser transparente, mas com os olhos bem abertos, atenta a tudo que possa acontecer”.

Gabriela - A bailarina e instrutora de pilates, de 27 anos, veio de Salvador (BA), com um objetivo: “Reconhecimento”. Mas, se conquistar o prêmio de R$1,5 milhão, já sabe o que fará com o dinheiro. “Vou comprar uma terra para a minha mãe e uma casa para a minha família. Também quero viajar”, conta. Gabriela não pretende se envolver amorosamente com ninguém no jogo. “Sou bem seletiva e chata pra isso, mas se houver um encontro na casa, não vou me fechar”, explica. 

Elis Nair, 40 anos, não enrola na hora de dizer o motivo que a levou a participar do BBB: “Quero ficar famosa”. Mãe de três filhos, casada, Elis não acredita em amizades verdadeiras. “É um jogo valendo um prêmio milionário. Todos são adversários”, explica a comerciante que mora em Taguatinga (DF), mas nasceu em Nova Crixás, Goiás.

Daniel, 41 anos, vem de Ferraz de Vasconcelos (SP) e não vai medir esforços para conquistar o prêmio: “Vou até o ponto que for necessário”. O agente de trânsito tem uma filha e vê no BBB 17 a chance de mudar de vida. No seu dia a dia, está acostumado às tarefas domésticas, como limpar a casa, lavar roupa e cozinhar – o que pode se tornar uma vantagem na convivência com os brothers durante o confinamento.

Antônio e Manoel - Os gêmeos de Vitória (ES), de 23 anos, acreditam que vão “tirar de letra” a convivência com os diferentes Brothers e ainda “vão se dar bem”. Os dois são promotores de eventos e vão usar no jogo o que aprenderam na profissão. Proativo, Antônio garante que vai ajudar em qualquer função dentro da casa, mas um detalhe pode atrapalhá-lo: ele gosta de acordar tarde, lá pela hora do almoço. Já Manoel acredita que sua força – tanto física quanto mental – poderá ajudá-lo no jogo. Quanto aos amores, Manoel não descarta a possibilidade de se envolver com alguém no jogo: “Estaremos confinados e, às vezes, sou carente”, afirma.

Emily e Mayla - As gêmeas  de 20 anos dizem que são “unha e carne”. Melhores amigas, as irmãs de Eldorado do Sul (RS) amenizam o clima de competição e torcem uma pela outra. Mas nem sempre tudo são flores com essas duas. O que causa discórdia entre as gêmeas é a vaidade. Elas brigam por maquiagem e roupa. “O BBB vai abrir muitas portas e vou poder ajudar meus pais”.